Menu

18 – Os Três Fatores de Revolução da Consciência

1 de março de 2016 - Fase A

Tema nº. 18 –  Os Três Fatores de Revolução da Consciência.

 

Os três fatores de Revolução da Consciência são :

1 – MORRER

2 – NASCER

3 – SACRIFÍCIO PELA HUMANIDADE

Essa é a base com a qual se torna possível a MUDANÇA RADICAL. Essa é a base com a qual se torna possível o DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA. Essa é a base com a qual se torna possível a LIBERAÇÃO ÍNTIMA DO SER.

18-1

Morrer + Nascer + Sacrifício pela Humanidade = AMOR

 

1 – MORRER

            “Negue-se a si mesmo…”

18-2

(Decaptação Psicológica)

Representado pela Morte de João Batista no “Drama Cósmico”, o morrer é a morte do mim mesmo, daquilo que me cabe, do ego, com todos os seus equívocos; tendências pessoais desconectas com a verdade; reações mecânicas embasadas em instintos animais; escravidão do homem pela mente, etc., etc., etc.

Como já dissemos em momento oportuno o ego, ou melhor diríamos, ‘os egos’, se manifestam nos três centros básicos da máquina humana, ou seja, na mente, no coração e no instintivo-motor-sexual. (O EGO PENSA, SENTE E AGE POR NÓS). Assim, como também mencionamos na lição anterior, a AUTO-OBSERVAÇÃO deve se fazer presente constantemente nestes três centros. O passo seguinte é a COMPREENSÃO, seguido da ELIMINAÇÃO de tudo aquilo que não seja a própria alma. Já temos ensinado como se faz a petição à Mãe Divina, para que ela elimine de nossa psique o defeito previamente compreendido e julgado. Esse pedido deve ser feito muito simples, de coração, mas também com determinação e firmeza, com o claro intuito de fazer o defeito sumir de nosso mundo interior naquele exato momento, até as bordas do zero radical, do silêncio absoluto dentro de nós mesmos. E, para entender bem tudo isso a fundo, pois esse é um ponto que até o momento do presente curso não temos dado a atenção devida, hoje abordaremos essa questão da RECORDAÇÃO DE NÓS MESMOS.

Porém, antes, é necessário esclarecer que todo esse processo da morte do mim mesmo é um processo muito delicado, dificílimo, exigente. É sem dúvida um trabalho a longuíssimo prazo. Lento, mas, no entanto, definitivo. A consciência superlativa do ser nos conduz nesse processo maravilhoso. O sentido da auto-observação nos vai mostrando o percurso percorrido. E é devido a esse conhecimento por via direta, daquilo que morreu em nós, que tornamo-nos capazes de revalorizar o trabalho sobre nós mesmos, quando advém algum período de passividade; ou seja, quando uma noite cósmica nos quer tragar. Uma noite cósmica é aquela sensação de desanimo, falta de inquietudes espirituais; quando não entendemos nada. Isso se dá por pura passividade da nossa parte, por pura falta de fazermos as práticas diariamente, de dar-nos o superesforço; mas é muito comum acontecer naqueles que iniciam o trabalho sobre si mesmos. Oportunamente, sobretudo na lição intitulada “Que devemos fazer para que as Práticas que dá o V. M. Samael dêem resultado” abordaremos em detalhes está questão.

RECORDARMOS DE NÓS MESMOS, quer dizer vivenciarmos as coisas da vida com a consciência atuando em primeiro lugar. Ou seja, cônscios de que somos algo mais que o ego, que somos os simples botsatwas de Deus, pecadores e miseráveis, desconectados dele. Cônscios de que temos um trabalho a fazer. Recordarmo-nos de nós mesmos é vivermos em auto-observação. Recordação de nós mesmos é, sobretudo, vivenciarmos a pureza de passar o controle das nossas aptidões anímicas para a consciência livre de todo tipo de condicionamentos, ou seja, quando encontrarmos a pureza absoluta dentro de nós mesmos. Nossa consciência livre é a Essência de nosso Ser, as capacidades de percepção, magnetismos, vontade, sentidos, etc. etc. etc. E essa pureza infantil é possível de ser vivenciada, ainda que durantes os breves instantes nos quais não atue nenhum ego, quando oramos à Mãe Divina para que nos conduza, para que apareça, para que ELIMINE DE NÓS ESSE OU AQUELE DEFEITO. Mais que simples oração, devemos suplicar, implorar, para ela mostrar sua face, adorando-a. Ela é a própria consciência livre e desperta. Então, nestes momentos ela aparecerá dentro de nós mesmos.

A morte do mim mesmo advém quando reconhecemos dentro de nós mesmos tudo aquilo que não seja a mais perfeita pureza. Em seguida oramos à Mãe Divina para que desintegre esse defeito, seguida de imaginação e vontade unidas em vibrante harmonia, fazendo com que esse defeito suma de nossa percepção interior até os pés da Nossa Divina Mãe.

Repetimos que não é fácil não nos identificarmos com nossas emoções negativas, por exemplo, e eliminarmos de nossa natureza interior esses sentimentos, mirando a pureza radical, a princípio desconhecida. Somente com o êxtase da meditação aprenderemos por nós mesmos o que é a pureza radical da alma. Os estudantes gnósticos devem meditar todos os dias.

Atenção: O discípulo deve todas as noites dormir fazendo uma das práticas que damos aqui. Jamais um estudante de esoterismo pode se dar ao luxo de dormir como “Raimundo e todo mundo”. Esses momentos são preciosos para se fazer as práticas. É quando as preocupações do mundo exterior se findam e o sono, porta de entrada para outras dimensões, vem naturalmente. Outra hora especial é durante a madrugada, pois a atmosfera está tranqüila. Praticai com tenacidade e paciência e colhei os resultados.

Em se tratando da Eliminação dos agregados psíquicos que constituem o mim mesmo, advirto-os que um mesmo defeito tem milhões de pequenas ramificações, cujas causas são as nossas percepções equivocadas do passado. Ou seja, os valores conscientes, inconscientes e subconscientes que temos deixado a mente dar às coisas que nos entram pelos sentidos. Quero dizer com isso que devemos ficar em constante auto-observação, como um vigia em tempo de guerra, pois o defeito observado, julgado e golpeado pela lança de Nossa Divina Mãe Kundalini, surgirá em nosso mundo interior diversas vezes mais.

O perigo ocorre quando nos esquecemos de nós mesmos, ou seja, quando nos esquecemos que somos a consciência e nos identificamos com qualquer ego, passando a agir sem trabalharmos sobre nós mesmos. Nesta situação voltamos a agir mecanicamente e então cometemos muitos erros, como quando antes de iniciarmos nosso trabalho interior. É quando os egos agem indistintamente e deixamos de TRANSFORMAR AS IMPRESSÕES que nos chegam aos sentidos (ver o tema: “A Transformação das Impressões” nas Conferências Especiais ou Extras). O que de fato acontece nesses instantes é que engordamos defeitos psicológicos já julgados e até ressuscitamos defeitos que aparentemente havíamos eliminado. Isso se dá porque o ego somente morrerádefenitivamente quando eliminarmos AS CAUSAS DOS EGOS. Esses são trabalhos avançados que o Mestre tem que fazer quando estiver já bastante adiantado no trabalho sobre ele mesmo. Mas, esse é um tema de uma próxima conferência.

Distingamos, pois, dois estados interiores de consciência, facilmente observáveis em nós mesmos. O primeiro é o SABOR TRABALHO. Ou seja, quando estamos trabalhando sobre nós mesmos; nos recordando de nós mesmos. Olhando para dentro de nós, nos auto-observando e lutando para não nos identificarmos com as coisas internas que brotam dos egos e sugestões de nosso próprio ego enraizado, transformando as impressões que nos chegam da mente. E a outra é a vida cotidiana, vulgar, comum e corrente. Nessa ocasião voltamos a ser vítimas das circunstâncias; voltamos a ser dados às identificações de todo tipo: se nos elogiam, envaidecemos; se nos xingam, odiamos; sofremos, desejamos, sonhamos, nos excitamos, nos deprimimos, etc.

 

2 – NASCER

            “… carregue sua cruz…”

18-3

 

MATRIMÔNIO PERFEITO

 

O fator nascer é o resultado obtido com a Magia Sexual: Criar os corpos solares para adentrar em outras dimensões; religarmos com as forças primogênitas de criação, com Deus.

A “Alquimia Sexual”; A MAGIA SEXUAL é o tema da nossa próxima lição.

 

3 – SACRIFÍCIO PELA HUMANIDADE

            “… siga-me.”

18-4

Amar a humanidade, entregando o ensinamento de maneira desinteressada, gratuita, sem distinção alguma.

 

Recapitulando:

– Assim disse o Cristo: “quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo; carregue a sua cruz e siga-me.”

– MORRER, NASCER E SACRIFÍCIO PELA HUMANIDADE;

2 opiniões sobre “18 – Os Três Fatores de Revolução da Consciência

Jones

Olá, venho acompanhando e aplicando este ensinamento, que graças aos céus é baseado no temário do V.M Rabolu. Minha pergunta é: Em relação ao segundo fator, sei que a prática da alquimia é permitida apenas a partir dos 18 anos, entretanto, tenho 14 anos, é aconselhável a sublimação diária (ham-sah) ou isso também é somente após os 18 anos? Abraço.

Resposta
    gnose

    Olá, amigo, boa noite!
    É interessante que se siga sublimando…

    PAZ INVERENCIAL

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.