Menu

18 – Teosofia, Espiritismo e Médiuns

2 de março de 2016 - Fase B

Tema nº. 18  –  Teosofia, Espiritismo e Médiuns.

b-18

            Existem várias escolas e religiões. Todas elas são um ponto de luz a indicar o caminho à Deus, contrariamente ao mundano viver estéril, que nunca resultará em algo definitivo. Tudo no mundo material é passageiro. A própria personalidade é passageira. E no final de tudo, o que lucramos em viver nesciamente? Este curso não é direcionado as pessoas vulgares, mas aos revolucionários!

O objetivo deste tema não é o de julgar nenhuma escola esotérica. Pelo contrário, serve apenas para indicar o caminho sagrado que conduz à Deus, para que tudo fique bem claro e cada qual possa fazer sua escolha, sem se deixar enganar, pois esse é o objetivo deste curso. Porém, sabemos que existem muitos percalços; muitas dissimulações; muitos prestidigitadores; muitos equivocados sinceros, aqueles munidos das mais boas intenções, mas que guiam seus discípulos ao caminho do engano, muitas vezes porque sequer sabem que não sabem, etc., etc., etc. Jesus, o Cristo, disse: “Dos mil que procuram, um me encontra; dos mil que me encontram, um me segue; dos mil que me seguem, um é meu!”

Isso nos leva a refletir o quanto é difícil encontrar o verdadeiro e único caminho que pode nos conduzir à liberação final. Não disse aqui, entendam, que a Gnose é a única escola que aponta o caminho sagrado real, mas disse que é o único caminho, pois de fato o é. Não é possível chegar a Deus sem que seja pela via sexual. É necessário renascer, e isso de renascer ou nascer foi, é e será sempre uma questão absolutamente sexual.

A maioria das escolas completas, ou seja, aquelas que ensinam o caminho real na íntegra, o fazem parceladamente e por níveis de aprendizagem. Nestas escolas somente chegam a receber O Grande Arcano, ou seja, os mistérios do sexo, aqueles que já passaram por outros níveis de ensinamentos. Na Gnose, acontece algo diferente. Ela foi autorizada pela Lei Divina, devido à proximidade com o período dos grandes cataclismos, para entregar à humanidade todo o ensinamento na íntegra “para bestas, homens e anjos“. Assim foi dito.

Portanto, o objetivo deste tema é para que não se enganem e encontrem e comprovem por si mesmos o real caminho que pode nos conduzir à Liberação Final.

Passemos agora, pois, com muita cautela a entregar o tema proposto, a fim de não ferir suscetibilidades, mas já com a certeza de que quem chegar aqui estará ciente que o único intuito é guiar os discípulos ao Caminho Direto e Solar, que nos possibilita sair da Roda de Sansara e Religar com Deus, para que não se percam em compreender o que cada qual deve fazer para Despertar a Consciência e atingir a meta.

A Teosofia ou Sociedade Teosófica é uma maravilhoso grupo moldado sob base científica. Sua maior expoente é Helena Petrovina Blavatsk, que deixou à humanidade uma das mais maravilhosas obras do ocultismo: A Doutrina Secreta.

O leitor atento ao ler o parágrafo anterior certamente notou que falamos em moldes científicos. Para que entendamos e saibamos decifrar a sabedoria onde quer que ela apareça é urgente compreender que a verdade é uma só, o que mudam são as maneiras de a contar; porém, acrescendo-se a isso que ela, a Verdade, está mais além da mente.

O que queremos dizer é que a Teosofia cumpriu um papel. Falou da verdade é fato. Mas falou da verdade para os intelectuais a fim de tirá-los deste beco sem saída que é o intelecto humano. A mente é capaz de tornar verossímil coisas absolutamente opostas, mas a verdade vai continuar sendo o que é.

A Sociedade Teosófica por um triz não conseguir transformar esse cientificismo frio e baseado em máquinas, na mais solar das ciências, que é a da investigação direta da verdade. Não é necessário bolar hipóteses sobre fenômenos desconhecidos, para depois fazer de tudo para os comprovar. Isso pode dar margem a termos que refazer hipóteses, ao descobrirmos algo novo relacionado com o fato e isso temos visto aos montes. Como também pode acontecer de que haja muitas hipóteses sem uma comprovação fatídica. Como por exemplo a transformação do mono em homem; teoria que ainda jáz não comprovada, mas é inteiramente aceita. Contrariamente, o que a Sociedade Teosófica tentou estabelecer como regra, era que há uma verdade passível de ser vivenciada através dos poderes da alma. E isso é um fato que elevaria a humanidade a um patamar gigantesco, mas os egos robustecidos da época não aceitaram em absoluto. Rotularam, classificaram a Teosofia e subjugaram com o intelecto sem, mais uma vez, comprovar se era verdade ou não. E isso de comprovar, qualquer um o pode fazer. Ensinamos aqui todos os métodos para que qualquer um o posso vivenciar. De fato esses estudos aqui ensinados valem muito mais de que qualquer Universidade do mundo físico, pois os levará ao real. É impossível compreender um médico sem clarividência. Como também é inconcebível um Juiz que carregue em seu interior os egos da injustiça, etc. Porém, não compreendam mal: a Sociedade deve prosseguir e devemos todos nós colaborarmos para que ela se desenvolva. Apenas quero dizer aqui que seria muito bom se os estudantes gnósticos fossem além do aprendido nas Universidades e iniciassem um verdadeira sociedade iluminada.

A Teosofia conhecia profundamente a força da Kundalini e a importância da morte do ego, características fundamentais de uma escola da loja branca, mas não ensinou abertamente o modus operand para se despertar a Kundalini. Hoje em dia a Sociedade Teosófica é pedra de tropeço para aqueles com tendências intelectuais. Há muita literatura, teorias, etc., como também há práticas subjetivas, que dão muito pouco resultado para muitos esforços empreendidos, e ainda para piorar sem serem resultados definitivos. Esses mesmos esforços, se bem direcionados, trariam resultados fantásticos. E é isso que apontamos neste curso, para que não percamos tempo, dissipando energia.

A verdade é que de teoria não vi surgir nenhum Mestre. Os Mestres surgem de fatos.

Portanto, urge abandonar o mundo das teorias infindáveis e adentrar ao caminho prático. Sugiro, pois, a todos aqueles que são muito centrados no intelecto, que aprendam a meditar profundamente e meditem de fato todos os dias. A meditação e a oração abrem as portas da percepção para o mundo das realidades, que não está aqui no mundo tridimensional, tampouco no mundo ilusório das teorias.

Sugiro, ainda que compreendam e pratiquem a Magia Sexual sem derrame de Sêmem, pois esse é o caminho para se despertar todas os poderes do Ser, os quais servem de acesso a todos os lugares do Cosmos, sendo indispensável a eliminação dos eus e a vivência da compaixão. Ou seja, o que nos faz avançar objetivamente no caminho esotérico são os Três Fatores de Revolução da Consciência.

Para que fique bem claro: ainda que saibamos todos os mecanismos do cosmos, de nada nos  valerá, se não o vivenciarmos e descobrirmos tudo dentro de nós mesmos, pois a Verdade nos Libertará. Por outro lado, o intelecto e o ego nos escraviza. Isso de Liberdade também é algo baseado na pura vivência. Alguém que vivenciou a verdadeira Liberdade, rir-se-á de tudo que foi escrito sobre liberdade, pois toda descrição estará despida da vida, da luz, da expansão da consciência.

Falemos agora um pouco sobre o Espiritismo.

Ele surgiu com os mesmos ventos Teosóficos, ou seja, querendo revestir a verdade com caracteres cientificistas. Porém, o espiritismo se limitou a poucos tipos de fenomenologia, baseados no contato com os mortos.

Um dos principais expoentes é Alan Kardec, com seu “Livro dos Espíritos“.

Ora, esse fenômeno da incorporação é tão antigo quanto o tempo e sempre foi associado ao ramo esquerdo do esoterismo, a feitiçaria, a bruxaria. Urge diferenciar do Chamanismo, pois nestas práticas o Chamam vai até a metade do caminho, ou seja, ele vai até a quarta dimensão e de lá invoca os Deuses Santos.

No espiritismo é diferente, os médiuns servem de veículo para serem usados por essas entidades. Não há ganho de consciência algum com isso.

Não estamos aqui para defamar, denegir, desvalorizar qualquer escola ou ceita, apenas nos urge dizer a verdade. Essas práticas tenebrosas dá ensejo para que qualquer larva, eu, demônio se apodere dos veículos físicos do passivo, o médium. Dizem os adeptos daquelas escola, que as incorporações acontecem por afinidade. Eu perguntaria, a que tipo de afinidade se prestaria alguém que não eliminou de fato de dentro de si mesmo os egos? Quantos horrores carregamos nas nossas zonas mais profundas do subconsciente?

Irmãos gnósticos, cuidai-vos do labor dos espíritas.

Bem sabemos que nos mundos infernos e nas dimensões do mundo mental existem demônios terrivelmente perversos, cheios de ardis intelectuais, cheios de tramas, passando-se por bonzinhos, pervertendo, roubando, enganando, etc., etc., etc. Esses eus muitas e muitas vezes se metem dentro das vítimas mediúnicas, ora equivocadas sinceras, ora parte da trama.

É com muita dor no coração que temos que dizer: O ensinamento espírita conduz à degeneração. Ali se encontram muitos equivocados sinceros, pessoas que se estivessem lutando pelo lado da luz poderiam dar bons frutos. Gente que poderia se decidir a lutar contra sua própria natureza inferior, seus egos, e por fazerem-se devorar pela força solar depositada na semente de todo ser vivente, as glândulas sexuais, pois é aí que reside de fato a potência crística. Cristo é a própria Vida. Agora entendeis porque Jesus, o Cristo, insistia tanto em dizer parábolas utilizando as sementse e a Vida.

Porém, por outro lado, bem sabemos que de boas intenções o inferno está cheio.

A pureza interior profunda é o alvo do mago branco e este não se deixa enganar jamais. A intuição brota-lhe no peito. Com ela todas as máscaras caem. Ó vós candidatos a discípulos gnósticos, não se deixem enganar! Despertem o quanto antes a intuição! Lutem contra o vosso ego e compreendereis as escolas ególatras. Nasçam em vós mesmos, através da Magia Sexual e aprendam a amar a pobre humanidade doente.

            MÉDIUNS

            “Sujeitos passivos, receptivos, que cedem sua matéria, seu corpo, aos fantasmas metafísicos da ultratumba.

            É inquestionável que o carma da mediunidade é a epilepsia. Obviamente, os epilépticos foram médiuns em suas vidas anteriores.” ( do livro “As Três Montanhas” do V. M. Samael Aun Weor)

Infelizmente, os médius continuam o sendo após a morte, no Limbo, e ali mesmo continuam a ser casa de demônios alheios.

O estado epiléptico nada mais é do que o assalto por entidades do inframundo, pois prepararam seus corpos para receber essas larvas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.