Menu

12 – Retorno e Recorrência

1 de março de 2016 - Fase A
12 – Retorno e Recorrência

Tema nº. 12 –   Retorno e Recorrência.

 

O mundo tridimensional é regido por 48 leis cósmicas, simbolizada, nos seres humanos, pelos 48 genes. Retorno e Recorrência são duas destas leis Cósmicas para o mundo tridimensional.

Não obstante, por mérito e direito próprio, à medida que formos eliminando o ego animal, vamos transcendendo leis. Deste modo, com o trabalho interior deixaremos de ser regidos por essas duas leis, entre outras, ganhando a autentica liberdade e consciência, até religarmo-nos com o Pai, que é única Lei. Acima do Pai há o Absoluto, incognoscível, imanifestado, mistério… Costuma ser representado com o Zero radical perfeito.

Curiosamente, a mente tende a entender por monotonia o silêncio. Mas, é justamente o contrário, é vida e consciência. O silêncio absoluto é Consciência desperta. Quanto mais consciência, menos leis; mais visão, menos prisão; mais energia e vitalidade, menos sofrimento; mais sabedoria e vivência da verdade, inclusive em dimensões superiores, menos escravos dos desejos seremos e, portanto, mais livre; etc…

Voltando ao nosso mundo mecânico… Retorno é voltar a voltar, regresso, nascer novamente (ganhar novo corpo físico, dentro do ciclo de 108 existências, conforme afirmamos na lição 8). É um ciclo pequeno dentro de outro ciclo maior da Roda do Sansara. Tenhamos bem claro na mente, neste momento, que aquilo que retorna são os egos e a essência, tanto a por ele engarrafada, quanto os três por cento livre, porém adormecida.

Recorrência é outra Lei que começa a reger o ser humano comum e corrente logo após a consumação da Lei do Retorno.

A Lei da Recorrência pode ser assim formulada: Recorrência é voltar a ocorrer os mesmos acontecimentos interiores das existências passadas na atual existência. Isso faz com que as vidas de uma mesma pessoa sejam muito parecidas. Para alguns a repetição é idêntica, devido ao mundo exterior semelhante e ausência de carmas ou darmas significantes. Para outros a repetição é um pouco diferente, mas os gostos psicológicos interiores serão os mesmos.

Para muitos dos que nos leem soará insólita tal afirmação, mas na verdade não é tão incompreensível assim. Primeiro, porque isso ocorre devido à atuação do ego. E o ego, como sabemos, é pura repetição, mecanicidade, ignorância. A essência é que é o novo, a verdade de instante em instante.

Deste modo, a vida de cada pessoa é como um filme repetido. Vivemos em cada existência as mesmas tragédias e comédias das vidas anteriores, acrescido das consequências boas e más de nossos atos (carmas e darmas). Os atores deste filme (aqueles que estão por trás das repetições das nossas tragédias e comédias) são os egos, agregados psíquicos, desvios de consciência, demônios vermelhos de Seth, pecados capitais, etc. Ou seja, somos mecanicistas em 100%, pois nos acostumamos a nos identificar com os eus.

Exemplo:

12-1

Como podemos observar no exemplo anterior, os fatos mecânicos da vida se repetem. Mas a partir do fato novo, as situações mecânicas puderam ser alteradas, devido ao trabalho com os três fatores de revolução da consciência. Mesmo se o acidente, suponhamos fosse um carma recorrente a ser pago em várias vidas, ele poderia ser alterado, pois com o trabalho sobre nós mesmos, além de nos tornarmos dignos da misericórdia Divina, ganharíamos consciência suficiente para negociarmos nossos próprios carmas diretamente com as Hierarquias Divinas. No entanto, há que se notar: para isso a pessoa deviria já ter méritos reais e eliminado o defeito psicológico causador do carma recorrente de fato e não, pura e simplesmente por ter passado a frequentar as aulas, seus méritos estariam garantidos.

Um fato curioso na Lei da Recorrência é que ela se processa através de aspirais maiores ou menores. Assim, numa vida nascemos como filhos da nobreza, na seguinte, pode ser que nasçamos filhos de serviçais e assim por diante. Sempre, no entanto, obedecendo às Leis de Carma e Darma, tema da nossa próxima conferência. É natural, de um modo geral, enquanto estivermos nas nossas primeiras existências, sendo nosso ego menos robusto, que predomine a tendência de nos pautarmos por espirais cada vez maiores, ou seja, que o esplendor da essência vá nos colocando cada vez em vidas mais belas, fartas e alegres. Mas, à medida que o ego vá se robustecendo, e consequentemente a essência tendo cada vez menos vez nas nossas decisões, as aspirais tendem a serem cada vez menores. Isso sem tocar no mérito da degeneração dos corpos.

12-2

No exemplo acima, caso predominasse a caridade na sua vida de rico e de rei, em seu sentido mais amplo – pois quanto mais ele tem, mais caridoso deveria ser – o sujeito em questão permaneceria em aspirais ascendentes. Pois mesmo nascendo pobre, teria muita ajuda sem nem saber de quem. Porém, se ele começasse a dar atenção aos egos, por exemplo, da avareza, do egoísmo, etc, ele passaria a caminhar pela espiral descendente e de pobre a mendigo.

Que fique bem claro, no entanto, que a apesar da caridade estar intimamente ligada ao amor (não há nada mais belo do que o desapego material ligado à justiça; compartilhar e distribuir com os outros espontânea e sabiamente aquilo que se tem) ela em si não é revolucionária. A caridade é praticamente um dever de todos… Aliviar o sofrimento alheio é um dever… Ela, no entanto, não nos pode conduzir à Liberação Final. Devemos ter muita atenção neste momento para conseguirmos diferenciar caridade deSACRIFÍCIO PELA HUMANIDADE. Aquela máxima pode nos ajudar a esclarecer isso: ’aquele que dá materialmente, recebe materialmente; aquele que dá espiritualmente, recebe espiritualmente’.

Assim, o darma de quem é caridoso em bens materiais é nunca passar dificuldades financeiras nas vidas posteriores. Agora, aquele que dá gratuitamente e desinteressadamente por amor o ensinamento do bom caminho aos seus semelhantes, recebe toda a ajuda das Hierarquias e Mestres da Loja Branca, e com isso progride rápido espiritualmente.

Agora vamos tocar no assunto deixado para trás linhas acima, a respeito da degeneração corpórea. Se, por exemplo, acaso levássemos em conta apenas o nível energético, ocorreria um fato relacionado à Lei da Recorrência que poderia ser enunciado assim: ‘a curva do tempo de vida fica cada vez mais curta, devido à perda excessiva de energia em cada existência, sobretudo à energia sexual, de geração em geração’.

12-3

NOTA – A ‘linha do tempo’ é sempre representada por uma circunferência.

Como escaparmos das leis do Retono e da Recorrência?

Para se transcender essas duas Leis é necessário iniciar um trabalho sério sobre si mesmo. Ou seja, precisamos começar, sem demora ou falsas justificativas, o trabalho com os TRÊS FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA: Morrer, Nascer e Sacrifício pela Humanidade.

Deste modo vencemos leis; vencemos o tarô; vencemos as adivinhações; vencemos a quiromancia; vencemos os signos; vencemos a morte… Quando eliminamos um defeito psicológico, por exemplo, deixamos de estar compromissados com o evento por ele marcado anteriormente. E assim, vencemos parcialmente a Lei do Retorno. Quando praticamos o fator ‘nascer’, quando transmutamos nossas energias sexuais, amplificamos nossa energia e Consciência, a ponto de não só melhorarmos nosso nível energético, senão de termos lucidez suficiente para negociar diretamente com os Senhores da Lei Divina. Enfim, ao levantar a terceira Serpente de Fogo o Iniciado vence a morte física e passa a ter seu centro de Gravidade na quinta dimensão da natureza, região regida por 24 leis. Ali não existe mais a lei do Retorno e da Recorrência definitivamente. Quem nunca ouviu o ditado popular: “pra tudo nessa vida tem jeito, menos pra norte”? Pois é, esse ditado está errado, pois até para a morte tem jeito…

Creio que alguns podem achar que Retorno e REENCARNAÇÃO seja a mesma coisa. Porém, não o é. Agora vamos esclarecer pormenorizadamente essa questão, que na realidade não passa de questões de termos. Mas que esses termos sejam claros e precisos. Reencarnação é diferente de Retorno.

REENCARNAM as pessoas de consciência desperta, a fim de dar continuidade a um trabalho iniciado, de acordo a vontade do Pai que está em secreto. RETORNAM as pessoas comuns e correntes; nós inconscientes e adormecidos nas dimensões superiores. Ou seja, aquele que tem poder de se mover e domina a quinta dimensão da natureza, aquele que é mais alma que egos, esse sim pode escolher, de acordo com a vontade do Pai, onde e quando nascer para continuar sua obra, unidos em vontade consciência (pois nessa altura o iniciado sente gosto imenso em seguir o caminho da retidão). Mas, após a morte física nós profanos inconscientes continuamos sem nossos veículos de expressão da alma, sonhando como um sonâmbulo até a hora de retornarmos de acordo com a Lei Divina, a fim de colhermos nossos carmas e darmas e repetir dramas, tragédias e comédias; enquanto nossa alma divina a anelar para que desta vez iniciemos um trabalho sério sobre nós mesmos.

Quero deixar claro que Gnose não se resume a acreditar ou deixar de acreditar nisso ou naquilo. GNOSE É CONHECIMENTO DIRETO DA VERDADE. Por isso passamos as técnicas para que as pessoas possam DESPERTAR A CONSCIÊNCIA e comprovar por elas mesmas todas essas coisas. Então, para alguém que queira vir a ser um gnóstico, não vale a pena se desgastar com debates de idéias com pessoas que apenas acreditam ou deixam de acreditar. Valerá a pena sim lutar para realizar a grande obra em vós mesmos e passar a ver essas verdades e muitas outras mais.

 

RECAPITULANDO:

 

Com os TRÊS FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA vencemos essas duas Leis Mecânicas da Natureza.

2 opiniões sobre “12 – Retorno e Recorrência

domingos

ensinamentos que deveria ser ensinado nas escolas.

Resposta
Sergio Sanderson

Meu nobre amigo, estudo as recorrência criando o campo e vendo quem é recorrência de quem no sistema. Sua colocação é racional, fundamentada em fatos reais. Parabéns

Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.