Menu

27 – Exoterismo; Pseudo-Esoterismo e Esoterismo

28 de fevereiro de 2016 - Fase A

Tema nº. 27 – Exoterismo, Pseudo-Esoterismo e Esoterismo.

 

E‘X’OTERISMO = E‘X’TERIOR

‘PSEUDO’-ESOTERISMO = ‘FALSO’ ESOTERISMO

E‘S’OTERISMO = ‘S’ABEDORIA INTERIOR

 

EXOTERISMO

 

O exoterismo é tudo aquilo que é exterior, como o próprio ‘x’ da palavra já denuncia. O exoterismo, por exemplo, é isso que os senhores estão lendo agora. É todo o ensinamento escrito, ainda que verse sobre coisas, eventos, seres e ensinamentos profundamente próprios dos mundos internos, porém se não foram comprovados, não servem para nada.

O exoterismo é chamado pelos Mestre de conhecimento FRIO, ou seja, aquele que pode ser transmitido intelectualmente.

FRIOS EM GERAL É TODA A HUMANIDADE ATUAL QUE NÃO SE INTERESSA PELO ESOTERÍSMO PRÁTICO DA ERA DE AQUÁRIO. É a humanidade preocupada com seus assuntos pessoas e com nenhum interesse em buscar a verdade de Deus.

Agora, se utilizarmos o termo exotérico para caracterizar a qualidade do ensinamento, ainda que escrito, de um mestre, por exemplo, aí a semântica do termo exotérico pode sofrer uma leve alteração. Entendamos. Nos é dito que Jesus, o Grande Mestre, deu para as massas um tipo de ensinamento em forma de parábolas, mas para os seus discípulos ensinava tudo direta e integralmente. O Mestre Samael, para não citar ainda outros, escreveu obras tanto para atrair grupos de pessoas específicas para o Movimento Gnóstico, como também escreveu obras práticas para Iniciados. Assim, as primeiras poderemos dizer que são obras exotéricas e as segundas, esotéricas. Creio que ficou claro.

Esses ensinamentos exotéricos deixados por algum Mestre servem para, por exemplo, controlar uma sociedade de pessoas frias, para que não se afundem mecanicamente pelo caminho Luciférico. É o caso dos ensinamentos deixados para o povo Tibetano, por exemplo, e o ensinamento exotérico deixado por Jesus Cristo etc.

 

 

PSEUDO-ESOTERISMO

 

Pseudo-esoterismo é aquilo que parece ser esotérico, mas não é.

Trata-se de procedimentos e\ou ensinamentos que se fantasiam de nuanças interiores, mas são cem por cento exteriores. São coisas como pirâmides para cura, cristais, músicas ou qualquer outra coisa que nos jogue a atenção para fora (não jogaremos neste ‘mesmo caldo’ todas as músicas; bem sabemos que as grandes obras dos Grandes Mestres da Música têm o poder de ativar os chacras cardíacos; mas isso somente é possível se estivermos em estado de auto-observação e em recordação de nós mesmos, ou seja, com a nossa atenção voltada para dentro de nós mesmos). Todas essas coisas que no fundo impulsionam nossa atenção para algo exterior, como que insinuando que o poder está lá fora em algum lugar, tudo isso é pseudo-esoterismo. Aqui também estão os dogmas, as liturgias etc.

Pseudo-esoterismo não traz qualquer tipo de benefício duradouro e definitivo para a alma. Muito pelo contrário, o neófito acaba por se enredar aí e deixa de fazer o trabalho sobre si mesmo. Somente a morte do eu, a alquimia e o sacrifício pela humanidade nos podem fazer passar de um Nível de Ser para outro. O resto é mais ou menos perda de tempo. Digo mais ou menos, pois alguns desses instrumentos, podem nos servir de muleta, mas que ninguém se apegue a eles, fazendo deles seus companheiros, por mais do que o estritamente necessário. Após nos utilizarmos destas ferramentas apenas como muletas temporárias devemos, decididamente, partir para a síntese, que são os três fatores de revolução da consciência, acrescidas apenas das práticas para o despertar da consciência (meditação).

Uma característica marcante das escolas pseudo-esotéricas é que elas não ensinam os três fatores de revolução da consciência.

Muitas delas pregam a evolução constante, o que é um equívoco, que pode estancar o estudante sério até que se dê conta de seu erro. Temos que dizer estas verdades: nestas escolas é impossível que a alma se desenvolva de fato.

TRABALHOS CONSCIENTES E PADECIMENTOS VOLUNTÁRIOS é disso que alma necessita para evoluir.

Outra característica inconfundível das escolas pseudo-esotéricas é que elas não têm à frente Mestres de Consciência Desperta da Loja Branca.

Muitas destas escolas ainda cobram pelos ensinamentos, o que as tornam repugnantes.

Neste campo do exoterismo e do pseudo-esoterismo não existem somente os equivocados sinceros (pessoas que acham que vão bem, mas que na verdade vão e levam muitas pessoas para o caminho do erro), mas também existem os decididamente perversos vestidos em pele de cordeiros. Muitos neófitos sinceros sofrem, sofreram e sofrerão em demasia nas mãos destes impostores. Eles pululam como as pulgas nos becos. Nas escolas, ceitas, livros, etc. exoteristas e pseudo-esoteristas há um sem número de traidores da luz desta espécie, cada qual movido pelos seus interesses pessoais.

A punhalada espiritual é muito dolorosa.

Mas sejais fortes e busqueis no coração, através da verdadeira intuição, o caminho para chegar à verdade: “BATEIS E SE VOS ABRIRÁ, PEDIS E SE VOS DARÁ“.

O perseverante que ama a Deus sobre todas as coisas e sabe orar, perseverará.

 

 

ESOTERISMO

 

O esoterismo é o que almejamos todos nós gnósticos e buscadores de Deus. Tocar os mundos internos. Apalpar as realidades da vida e da natureza, etc. Adentrar aos Grandes Mistérios dos Templos das Quarta, Quinta e Sexta Dimensão, etc.

Esotericamente diz-se que este tipo de ensinamento é QUENTE.

Esoteristas verdadeiros são cem por cento práticos. Trata-se de um grupo muito seleto, o qual, por sua vez, é a nata do grupo dos revolucionários.

 

Aproveitando esse tema, vamos aqui incluir a maneira correta de se estudar qualquer livro com conteúdo esotérico, inclusive este presente curso.

Primeiramente diremos que a mente é um instrumento fantástico, se bem utilizado.

A leitura rápida, deixando de captar a compreensão integral de cada detalhe acaba, destrói com esse nosso instrumento maravilhoso, a mente.

Dizem as tradições antiquíssimas, que os lemurianos consideravam as palavras sagradas e não passavam à frase seguinte enquanto não levassem a anterior à meditação profunda, captando o profundo significado de cada frase.

As obras esotéricas são escritas para a alma, que está além da mente. Assim, para a verdadeira compreensão das obras esotéricas é necessário que as levemos à meditação, à prática, à comprovação.

Esse curso não chega a ser um Tratado Esotérico puro, ele é escrito para se chegar até o esoterismo puro. Mas, não obstante, ele se refere a ensinamentos que ultrapassam a mente. Para a integral compreensão de cada uma das lições é necessário que o neófito vá um pouco mais além da interpretação de caráter meramente intelectual. Ou seja, é necessário que o estudante leve tudo à prática, que vivencie estes ensinamentos de forma integral, sustentando-se na consciência. Não é dispensável, ainda, que busquem informações nos livros dos Mestres Samael e Rabolu, pois ali, nas obras que aqui disponibilizamos, encontrarão ensinamentos fantásticos que os iluminarão, servindo nosso curso de apoio para os ensinamentos tão profundos ali deixados pelos Mestres. Existe um mote transcendental fantástico que diz assim: somente engole uma obra, aquele que a vivenciou integralmente. E outro que diz: com a vivência de uma obra apenas do Mestre Samael se chega à Maestria.

 

Para concluir este tema acrescentaremos mais uma frase de Nosso Senhor Jesus Cristo: “SEJAIS FRIOS OU QUENTES, POIS OS MORNOS OS VOMITAREIS DA MINHA BOCA.”

 

RECAPITULANDO:

27-1

Uma opinião sobre “27 – Exoterismo; Pseudo-Esoterismo e Esoterismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.