Menu

34 – A Mudança Radical

21 de fevereiro de 2016 - Fase A

Tema nº. 34  –   A Mudança Radical.

34-2

Poderíamos ter intitulado o presente tema de “A GRANDE BATALHA”.

A Bíblia Sagrada fala muito na grande batalha. Fala, ainda, de outras lutas que sugerem a mesma luta do bem contra o mal, como por exemplo, a luta do gigante Golias contra o escolhido de Deus, Davi.

O gráfico acima explica estas metáforas, a qual deve sempre ser entendida internamente: ali vemos os três por cento de essência livre, porém adormecida; é com ela que vamos nos valer para lutarmos contra o ego, ou seja, os noventa e sete por cento de essência que o ego engarrafa.

Trata-se, pois, de uma luta desigual.

O ego é muito maior que a alma livre, mas ela tem poderes e meios para eliminar os eus e ir se tornando cada vez maior.

Na medida em que os eus forem morrendo a consciência vai se ampliando.

As ferramentas que a Essência usa para eliminar os eus e ampliar sua porcentagem dentro do Ser, é o que ensinamos neste curso àqueles que verdadeiramente querem se tornar puros e vivenciar a verdade.

Para se conseguir essa Mudança Radical, primeiramente, é necessário vontade de querer mudar e vontade de querer saber a verdade sobre as coisas de si e do universo.

Já falamos em alguma parte deste curso que o Ser e o Saber devem se equilibrar harmoniosamente. Detalhando um pouco mais esta questão, para que não nos furtemos de ensinar todo o básico para que qualquer pessoa possa chegar a vivenciar a sabedoria, diremos que o Saber autêntico vem unicamente de Deus. A verdade é o que, sempre foi e sempre será. A sabedoria não a encontraremos em nenhum livro. Isso, creio, já o dissemos anteriormente; mas o que deixamos de dizer anteriormente, ou dissemos de forma pouco distinta é que a alma livre e desperta é quem traz o conhecimento, a sabedoria, que é de Deus, ao homem. A alma é a intermediária entre Deus e o homem.

A sede da alma, da consciência, é o coração tranqüilo.

No fundo do coração tranqüilo poderemos ouvir a voz insonora de Deus. A isso damos o nome de Intuição.

Porém, como dissemos e repetimos várias vezes, possuímos o egos, ou melhor diremos, os egos, as variações e engarrafamentos da consciência, os agregados psíquicos, que nos impedem de ver a verdade por nós mesmo, ou melhor dizendo, os egos são os que bloqueiam, ou na melhor das hipóteses, adulteram a comunicação da alma com Deus.

Os egos são todos os nossos tipos de erros e pré-condicionamentos, sejam sentimentais, intelectuais (com suas teorias mil), ou instintivo-motor-sexuais.

A alma em si é pura e perfeita.

Se os egos não houvessem sido criados por nós mesmos ao longo dos séculos e séculos, hoje seriamos iluminados perfeitos, cheios de amor e de sabedoria; porém os fatos nos demonstram que não é assim.

Este preâmbulo servir-nos-á para elucidar dois pontos que nos impedem de mudarmos radicalmente. O primeiro deles é que devemos entender profundamente a distinção entre Informação e COMPREENSÃO.

O verdadeiro equilíbrio no desenvolvimento entre saber e ser de maneira harmoniosa reside justamente na COMPREENSÃO desta distinção. Compreender é um processo que pertence à alma. Somente a alma livre, ou seja, quando estiver livre de interpretações preconcebidas, de sentimentos que não seja o AMOR e igualmente livre de qualquer corrente dos desejos, poderá compreender a verdade. Isso quer dizer que a compreensão da realidade das coisas é um processo gradativo, que ocorre em concordância à ELIMINAÇÃO DOS DEFEITOS PSICOLÓGICOS.

Para dar um exemplo mais, com o intuito de aclarar o entendimento da distinção entre compreensão e CRENÇA (conhecer algo apenas com o intelecto), diremos que alguém pode acreditar na existência de muitos eus dentro dele mesmo, mas somente vai COMPREENDER a existência destes muitos eus dentro dele mesmo, quando se dedicar a auto-observação. Para isso terá que despertar seu sentido da auto-observação e, separando-se em observador (a alma) e observado (o eu), constatar os eus em plena atuação dentro dele mesmo.

Acumulo de informações; acreditar; são características do intelecto e, ainda que acreditemos naquilo que é verdade, de pouco nos valerá, se não compreendermos a coisa em si, comprovando, constatando por nós mesmo a veracidade ou não da coisa, vivenciando-a, enfim.

COMPREENSÃO é uma faculdade da mente que surge quando esta se liga ao CORAÇÃO.

O acúmulo de teorias, o acreditar nisto ou naquilo, vem do ego, do racionalismo desconecto com a verdade, do exoterismo (aquilo que é exterior; se escreve com ‘x’).

COMPREENSÃO é esoterismo (aquilo que é interior; se escreve com ‘S’), vem da Essência, da consciência e é o resultados das práticas esotéricas, da perfeita ligação da mente com o Coração tranquilo.

Portanto, para nos interiorizarmos de maneira harmoniosa, para que o Saber e o Ser se desenvolvam equilibradamente é preciso trabalhar com os TRÊS FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA permanentemente e MEDITAR INTERIORMENTE todos os dias.

34-1

Que fique bem claro para todos: a MUDANÇA RADICAL é algo interno.

A Mudança Radical acontece de forma gradual, porém é definitiva.

A MUDANÇA RADICAL é a mudança daquilo que somos e trata-se, sempre, de um estado interior no presente aqui e agora. O exterior é um reflexo do interior. Reflitamos acerca disto. Três pessoas não conseguem interpretar um fato ou objeto do mesmo modo, pois cada mente dá valores diferentes à coisas iguais. Assim é o mundo da mente. Ela desconhece a verdade. Os valores que a mente dá são auferidos pelo ego de cada um, ou melhor, pelos egos de cada um, pois acontece, e não poucas vezes, que os valores de uma mesma pessoa acerca de um mesmo objeto mudam com o tempo.

Lembremos que o ego é legião, multiplicidade. Deus é unidade. Pergunto: onde está a verdade do mundo puramente mental, se cada pessoa pensa a sua maneira pessoal?

Portanto, ao mudarmos o nosso mundo interior, nos fazendo valer dos TRÊS FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA, conforme temos ensinado, passaremos a nos balizarmos na dialética da consciência, ao invés da triste dialética raciocinativa, que por sua vez se baseia no gosto e na tendência pessoal. Acresçamos a isso a morte do mim mesmo, para que aqueles que guiam nossos pensamentos, os egos, dêem espaço para que a alma possa, então, ver e compreender a verdade tal qual ela é.

Aquela parábola de Jesus sobre que ‘…é mais fácil: um camelo passar pelo buraco de uma agulha, ou um rico entrar no reino dos céus?” se refere justamente a isso: aquele que deixa sua mente dar valor a tudo e deixa de buscar a verdade, cujo dono é Deus, tampouco avançará no trabalho esotérico.

Mudemos, pois, radical e interiormente para que possamos ver por nós mesmos a verdade tal qual ela é.

É muito interessante o fato de nos lembrarmos de como nós éramos no passado, depois de um longo período de morte do eu. Porém tenhamos o cuidado de lembrarmos de nós não intelectualmente, mas com a consciência, conforme extensamente tentamos distinguir acima. Deste modo, em estado de plena auto-observação, nos recordaremos que muitos estados interiores característicos, de muitos eus conhecidos nossos, que nos habitavam no passado, ou diminuíram muito sua presença dentro de nós.

É bastante útil, para aqueles que já vêm realizando um trabalho sério, que às vezes, quando se sintam um pouco desmotivados, revalorizem o seu trabalho sobre si mesmos desta maneira. Falaremos no tema “Centro de Gravidade Permanente” mais a respeito destas noites cósmicas e sobre como nos livrarmos destas tendências lunares.

Agora voltando ao tema que nos propomos, a Mudança Radical: existem alguns defeitos psicológicos que nos impedem de iniciarmos o caminho da Mudança Racial. Enumeremo-los: – a auto-suficiência (achar que somos donos da verdade e que nada nos pode deter);

– a egolatria (gostar de si mesmo; ver as pessoas como se fossem apenas as personalidades e adorar ou rechaçar, uns e outros, conforme nossa auto-simpatia – atenção: a psicologia tradicional de hoje em dia, credita à felicidade como se fosse a mera aceitação a si mesmo e, para tal, ensina a idolatrar o si mesmo; porém, nós, os gnósticos, nos sentimos repletos de felicidade e de luz quando conseguimos nos livrar do ego e calar a mente, e neste estado de bem aventurança, adoramos a luz divina, vivenciando em nós mesmos a autêntica felicidade);

– a auto-consideração (imaginar o que os outros pensam de nós; nos preocuparmos em não sermos aceitos pelo grupo).

 

RECAPITULANDO:

 

– a grande batalha;

– três por cento de Essência livre contra os noventa e sete por cento de Egos que engarrafam a Essência;

– MUDANÇA RADICAL é algo interior = morte do eu; nascimento da alma;

– equilíbrio entre Saber e Ser, com os TRÊS FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA: MORRER, NASCER E SACRIFÍCIO PELA HUMANIDADE;

– a alma livre, ou Essência livre é o elo de união entre a verdade, Deus, e o homem;

– a Compreensão é uma faculdade da mente que surge quando ela se une com o Coração tranquilo;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.