Menu

33 – Pronunciamento dos Mantrans para o Desdobramento Astral

21 de fevereiro de 2016 - Fase A

Tema nº. 33 –   Pronunciamento dos Mantrans para Desdobramento Astral.

 

A prática do desdobramento astral envolve muitas outras questões que antes merecem ser bem esclarecidas.

Dizer, por exemplo, que as pessoas comuns e correntes, que nunca experimentaram um desdobramento astral espontâneo, o vão conseguir assim, na primeira noite de práticas, é muito difícil que aconteça.

Não obstante, há pessoas que em vidas passadas criaram seus corpos solares. Estas pessoas experimentam, até com certa frequência, uma série de fenômenos extra-sensoriais, entre eles o desdobramento astral.

As pessoas que possuem um chacra cardíaco bem desenvolvido, ainda que não tenham ainda criado os seus corpos existências do Ser, terão muito mais facilidade em realizar o desdobramento astral consciente, do que aqueles tipos intelectuais, cujo centro de gravidade se posiciona com mais freqüência na mente. Lembremos que o cárdias é a “Sede da Alma”.

Aqueles que almejam ser práticos no desdobramento astral devem lutar para viver o presente continuadamente, com a mente calada, o coração tranqüilo, em pleno estado de auto-observação e conscientes do que estão fazendo aqui e agora… Morrendo de instante em instante, pois a morte do eu faz com que se vá liberando uma quantidade preciosa de consciência livre, com a qual vamos despertando consciência e tendo êxito nas práticas de meditação e desdobramento astral, pois o desdobramento astral é uma faculdade natural da Essência.

Desta maneira a disciplina para o êxito na prática de desdobramento astral começa muito antes da chegada da noite.

A palavra chave de todo esse processo é MUDANÇA.

Temos que mudar, conscientemente, nossos maus hábitos, de dentro para fora.

O êxito nesta prática é como a coroação dos bons resultados de nossa mudança interior.

A MUDANÇA INTERIOR RADICAL APENAS PODE OCORRER COM O ÊXITO NAS PRÁTICAS DOS TRÊS FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA: MORRER, NASCER E SACRIFÍCIO PELA HUMANIDADE.

Desta maneira, ela serve mais ou menos como um termômetro para medir se estas e outras práticas estão sendo bem feitas.

Determinar um horário para fazer a prática do desdobramento astral é um bom hábito, e que este horário não seja muito tarde da noite, pois o cansaço nos dificulta a concentração.

O resultado fatal da má concentração durante a prática do desdobramento é a perda de consciência, que culmina com os sonhos comuns. Como acima dissemos, é necessário mudar os maus hábitos, que prejudiquem neste detalhe importante.

O ideal é que pratiquemos todas as noites, pois o costume diário faz com que percebamos o progresso, às vezes lento, mas fundamental para que não percamos o ânimo.

A prática do desdobramento astral requer, ainda, mais alguns cuidados: Antes de iniciarmo-la indispensável é a conjuração, de preferência o ‘Belilim’, seguida do fechamento do círculo mágico, conforme ensinamos em lições precedentes. Feito isso, com a mente e o coração tranqüilos é prudente que façamos uma simples oração de coração puro, pedindo sucesso e orientação antes e durante a prática às nossas partes internas, Deus Pai ou Deusa Mãe. Depois, nos fazendo sempre valer da concentração, iniciamos um bom relaxamento, para o qual, poderemos usar algumas das técnicas aqui passadas. Em seguida, já deitados na posição adequada, nos faremos valer dos mantras, os quais nos proporcionam a vibração requerida para se separar o corpo físico do corpo astral.

Conforme já dissemos em lições precedentes os mantras mais eficazes para o desdobramento astral são:

LA-RA-S;

FA-RAON;

E-GI-TO;

TAIRERERERERE.

O mantram LA-RA-S se pronuncia assim: LAAAAAAAAAAA – RAAAAAAAA – SSSSSSSSSS.

No link abaixo poderemos consultar uma gravação que encontrei na Internet feita pelo V.M. Samael Aun Weor, onde ele pronuncia esse e os demais mantras da maneira mais correta:

 

http://www.youtube.com/watch?v=WG17j5o363g

 

O mantram FA-RAON se pronuncia assim: FAAAAAAAA – RAAAAAOOOOONNNNNN. O mantram E-GI-TO é pronunciado da seguinte maneira: EEEEEEEEEE – GIIIIIIIIIIII (agudo) – TOOOOOOOOO.

O mantram TAIRERERERERE é pronunciado tudo de uma vez só, podendo se repetir até três vezes dentro de cada exalação.

Tudo deve ser feito de forma muito natural, com a intenção de dormir conscientemente.

De preferência, as primeiras pronunciações devem ser feitas em voz alta. Como esses mantras servem para fazer vibrar o corpo, eles devem ser pronunciados com certa desenvoltura. Caso não haja possibilidade de se fazer as primeiras pronunciações em voz alta, não haverá problema algum, façamo-los mentalmente, pois, desde o princípio.

O desdobramento astral traz, gradativamente, certos sintomas ao corpo físico. O primeiro deles é uma sensação de paz muito gostosa. Depois, sentimos como que o corpo formiga e incha, como se fossemos muito mais amplos do que nosso corpo físico é. Há outros sintomas que são sentidos por alguns, mas não por outros. Alguns sentem o corpo como que pesando demasiadamente. Outros escutam como um motorzinho atrás da nuca. Sentimos depois certas correntes nervosas que ora nos dão um tranco, ora nos perpassam um choque elétrico pela coluna. É muito comum depois de um choque destes estarmos desconectados.

Ao sentirmos alguns destes sintomas é hora de relaxar e de se concentrar mais ainda, pois as excitações, causadas sobretudo pela ansiedade, nos prejudicam nestas horas, tornando o desdobramento impossível.

A postura interna deve sempre permanecer a mesma, desde o início da prática: coração tranquilo e mente calada, em estado de auto observação e concentração na prática.

Não nos esqueçamos da Morte em Macha em situação nenhuma, pois ela é a base de nossa evolução espiritual. Alguns defeitos nos dificultam em demasia o desdobramento astral. Assim, durante o dia e mesmo durante a prática é interessante que trabalhemos intensamente para os eliminar de nossa psique. A redução destes defeitos pode nos proporcionar o êxito no desdobrando astral.

Quando suspeitarmos que estamos desconectados do corpo físico, ainda que no mesmo local onde este esteja, é o momento propício para levantarmos da cama de ‘mansinho’, mas com muita naturalidade. Em seguida, para comprovar, podemos dar um saltinho com a intenção de voar. Caso não voemos, deitemos no leito e reiniciemos a prática, sem estresse, cansaço ou tédio (Morte em Marcha – Transformação das Impressões).

Após o desdobramento, ao regressarmos para o corpo físico, não nos devemos mexer da cama, para que as recordações sejam captadas pelo cérebro físico. Aliás, todas as manhãs devemos utilizar a técnica de não nos movermos na cama, a fim de relembrarmos nossos sonhos. Um pequeno esforço, muito natural, é necessário para que recordemos os nossos sonhos e experiências de desdobramento astral.

A grande chave para a boa qualidade do desdobramento astral é a capacidade de identificarmos fantasias e realidades. Isso conseguimos com o despertar da consciência.

A busca do despertar da consciência deve permear nossa vida diária. Desta maneira, aquele que se deixa sonhar durante o dia, sonhará inevitavelmente à noite; porém, aquele que se esforça em viver o aqui e agora conscientemente, aos poucos vai tendo sonhos cada vez mais lúcidos.

Lembremos, finalmente, que as qualidades que precisamos adquirir para avançar nos trabalhos esotéricos são TENACIDADE E PACIÊNCIA. Essas qualidades são alcançadas quando eliminados de nossa natureza interior qualquer tipo de indisciplina, insegurança, temor, preguiça; bem como a impaciência, a intolerância a ira, etc., etc., etc. Assim, pratiquemos todas as noites sem nos cansarmos e morramos em nós mesmos de instante em instante de momento em momento.

 

RECAPITULANDO:

 

– o desdobramento astral é uma faculdade que está ligada ao coração tranquilo;

– a prática do desdobramento astral deve ser feita todas as noites;

– a sequência dos preparativos da prática é: conjurações; fechamento do círculo mágico; relaxamento; concentração; mantrans;

– os principais mantrans para o desdobramento astral são:

LA-RA-S;

FA-RAON;

E-GI-TO;

TAIRERERERERE.

– ao retornar do desdobramento astral, ou mesmo ao acordarmos depois de uma noite comum é indispensável não mover nenhum dedo sequer, a fim de que as recordações no mundo dos sonhos não se desvanesçam;

– tenacidade e paciência;

– três fatore de revolução da consciência bem feitos durante o dia aumentam a possibilidade de um desdobramento astral consciente à noite;

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.