Menu

45 – Diversos Tipos de Eus Luxuriosos

29 de janeiro de 2016 - Fase A

Tema nº. 45  –  Diversos Tipos de Eus Luxuriosos.

 

A luxúria é a mãe de todos os defeitos.

Com o pecado original começou-se a serem criados todos os defeitos psicológicos que hoje em dia carregamos dentro.

Na região do umbigo, muito próximo ao centro instintivo, mas também próximo ao centro emocional inferior, há uma região de acúmulo de energia sexual. É precisamente aí que são gestados os eus, que mais tarde vem a tomar forma, devido precisamente à apropriação indevida da energia sexual.

Os eus são entidades que pensam sentem e agem por nós.

No mundo mental, na quinta dimensão, podemos ver cada um destes eus tal qual eles são. Ali veremos diversas formas de animais, bestas de todas as espécies, etc. Estas são as formas que mais representam os valores embutidos em nossos ‘queridos’ agregados psíquicos.

O desdobramento mental se realiza a partir do mundo astral. Assim, estando despertos no mundo astral, inicia-se o procedimento para o desdobramento mental, o qual se realiza arrojando para fora o corpo astral, como quem tira uma roupa, com muita firmeza e segurança: “- Corpo astral, sai de mim!”. Deste modo ficam frente a frente corpo astral e mental, mais ou menos semelhante ao que acontece quando nos desdobramos em astral, ocasião em que vemos o corpo físico deitado na cama e saímos revestidos com o corpo astral.

No mundo mental é possível invocar a nossa Legião de defeitos, os quais obedecem e se apresentam aos milhares. Detalharemos mais essa prática em tema específico.

Voltando ao nosso tema, a luxúria, diremos que aqui no mundo físico nossa maior arma contra esse defeito é a auto-observação de nós mesmos.

Não nos devemos esquecer de nós mesmos de maneira nenhuma.

Quando nos identificamos com as coisas do mundo exterior, nos esquecemos de nós mesmos, deixamos de nos observar e isso é o princípio do caos.

A auto-observação deve ser voltada para dentro, precisamente aos três centros de atuação do ego: a mente, o coração e o sexual-instintivo-motor.

Ou seja, a luxúria, como todos os demais defeitos psicológicos, pensa; sente e age por nós.

Assim, costumeiramente ela se apresenta, como um ideal na cabeça; um falso amor no coração e uma morbosidade inconfundível no sexual, um desejo incrível de experimentar, de saciar-se…

Este é o quadro básico da Paixão:

45-1

Os eus luxuriosos ao controlarem o centro motor, nos colocarão gestos conscientes como o de rebolar. Ou inconscientes como o passar as mão nos cabelos, ou lamber rapidamente os lábios. Isso não quer dizer que devemos sair julgando os outros por ai. Tampouco para que sirvam de travas em nós mesmos. Isso, somente o estou dizendo para que intentem observar a luxúria dentro de vocês mesmos e a compreenderem, captarem o sabor psicológico único da luxúria e comecem a trabalhar intensamente sobre vocês mesmos, pois esse é o defeito mais difícil de ser eliminado e será o último a ser eliminado…

Prosseguindo, diremos que a luxúria controla o centro intelectual quando cria ideal de homem e mulher perfeitos.

Ela controla, também, o centro emocional quando cria sentimentos de paixões, falsos amores, dor de cotovelo, apego, carência,  etc.

Por outro lado, o centro sexual é controlado pela mente quando a luxúria, aprisionando-a, leva o centro sexual a se excitar (excitação nada mais é do que preparação para cópola). Isso se dá, costumeiramente, quando um homem avista uma mulher, por exemplo, com fartos atrativos sexuais. No caso de chegar a se efetivar uma cópula nestes moldes, o centro sexual trabalhará com energia muito mais pesada, pois estará roubando ao intelectual para trabalhar.

O que pode surpreender a muitos é o fato de que a luxúria seja uma soma de milhares e milhares de defeitos psicológicos.

Não obstante, apesar de suas infinitas nuanças, vamos descrever aqui alguns arquétipos luxuriosos básicos, para que com isso, possamos descobri-los em nós mesmos:

Há o tipo Dom Juan, uma forma de ver a mulher como ser inferior. O tipo Don Juan apenas almeja a cópula única, embalada pelo gosto do pecado. Assim, defrauda a mulher apenas para satisfazer seus egos pessoais. Muitas vezes, chega a ser um tipo refinado de ódio à mulher.

Diferentemente do tipo Don Juan, o tipo Casanova é daquele que tem várias esposas. Ele é visto por todas as partes e jura amor eterno a todas. O tipo Casanova é como o marinheiro que em cada porto tem uma mulher. O tipo Casanova é o tipo que adora a fornicação. Quase um viciado…

Há ainda o terrível tipo Diabo. É um tipo de caráter luxurioso que intenta copular com a mulher apenas para fins de alcançar uma suposta espiritualidade, quando na verdade, se esquece que é imprescindível amar profundamente a esposa sacerdotisa para que a Kundalini desperte. Aliás, a Kundalini é o próprio amor em chamas.

O tipo diabo é daquele que pouco tempo depois diz que sua esposa não serve mais para a magia sexual. Às vezes, esse tipo, pode mesmo chegar a seduzir uma porção de moças, dizendo que é com intuitos transcendentais, quando não passa de fornicação. O tipo diabo é, também, aquele que pratica magia sexual sem derrame de sêmen com mulheres diferentes, aqui, ali, acolá. Bem sabemos que jamais a Kundalini despertará nos adúlteros. Pelo contrário, a mescla de qualidades de energias de mulheres diferentes queimam os dutos Idá e Pingalá, o que impossibilita irremediavelmente o ascenso espiritual com este corpo físico.

Não podemos nos olvidar, tratando-se de luxúria, dos terríveis eus lascivos. São os eus meramente sensoriais, fornicários em cem por cento, desconectos completamente do amor e da espiritualidade. Devemos eliminar todos estes tipos de eus dentro de nós mesmos, pois bem sabemos que “é da mescla da ânsia sexual com a espiritualidade que nasce a consciência mágica”.

Os eus lascivos mesclados à fantasia fazem surgir os masturbadores. O sêmen derramado nestas circunstâncias, tão vilmente, criam entidades terríveis que chamamos íncubos e súcubos. A entidade criada pela imaginação doentia do homem é chamada íncubus. A entidade que a mulher ao se masturbar cria chama-se súcubus. Os Íncubus e Súcubus roubam nossa energia sexual, chegando mesmo a nos esgotarem; fazem, com isso, adormecerem abruptamente nossa consciência; impedem completamente a castidade científica, etc. Essas entidades nada mais são do que uma polarização criada pela própria pessoa, que toma forma de mulher, no caso de homem, e vice-versa, com quem o sujeito fornica mentalmente e ao derrame seminal ou orgasmo, recebem a energia criadora que os possibilitam se movimentar no mundo astral. Essas entidades ficam ao redor da pessoa e intentam que ele repita o ato, chegando mesmo a tornar o sujeito um viciado dependente. O vício da masturbação acaba por polarizar completamente a mente da pessoa, degenerando-a rapidamente.

45-2

Passemos agora a tratar de certos fenômenos, hoje em dia raros, mas que podem ocorrer devido à mescla da potência sexual com certos eus diabos muito fortes. A potencia sexual reprimida, quando é utilizada por certos tipos de eus lascivos, luxuriosos, íncubus e súcubus pode de fato, caso a natureza tenha dado à pessoa que assim age grande potência sexual, ocasionar diversos tipos de fenômenos no mundo físico. Queremos citar aqui os casos de movimentação de objetos, a auto-cópula,  suspensão pelo ar, fogo em objetos próximos etc. Certo tipo de eus quando muito fortes, mesclados com uma forte potência sexual criam demônios prestidigitadores, os quais podem se manifestar no mundo físico.

Deus é Amor e Sabedoria.

Bem sabemos os gnósticos que a energia sexual deve servir à Deus.

Ao gnóstico, para o bem de todos, que se case com uma gnóstica. Que ambos aceitem e pratiquem gnose. Assim se desenha um possível matrimônio perfeito.

O amor advirá àqueles que o buscam, mas somente aparecerá aos perfeitos de coração, ou seja, àqueles que morrem significativamente em si mesmos.

 

A PAIXÃO E O DESEJO MATAM O AMOR.

 

O Sexo é Sagrado.

O eu e a mente não conseguem captar as coisas da espiritualidade.

A energia sexual é muito mais sutil que a energia mental.

A energia sexual é a que a tudo criou.

Ela, pura, é o próprio Espírito Santo.

Assim, é nosso obrigação darmos um sábio uso para esta tão preciosa energia: “aquele que descobriu algo de muito valor para ele, vai, vende tudo o que tem e se apodera deste tesouro”. Assim, falou Nosso Senhor Jesus Cristo…

A energia sexual é esse tesouro. Ela é a fonte da juventude. Ela é o elixir da longa vida. Usar esta sagrada energia para chegar até Deus, fazendo ascender nossa Kundalini e criando nossos Corpos Solares, mediante a magia sexual é o mais sábio uso que poderemos dar a tão preciosa energia. Os Corpos Solares são os trajes indestrutíveis que servem à alma e ao Ser, conferindo-nos passagem a qualquer recanto do universo.

A luxúria, ao contrário, rouba tão preciosa energia e cria abominações.

Por se tratar, no entanto, de um defeito muito prazerosos, muitos e muitos espiritualistas se perdem enroscados à tão poderosa serpe e relutam em eliminar de si mesmos o terrível eu da luxúria.

Ao eliminarmos um eu qualquer, liberamos uma certa porcentagem de consciência, a qual nos será muito útil para compreendermos todos os nossos demais defeitos.

45-3

Aos estímulos sensoriais, não obstante, ao erotismo durante o processo de desenvolvimento na prática de magia sexual, vão sendo acrescidos os inefáveis supra-gozos espirituais, sob a égide da ausência de defeitos psicológicos atuando. A eliminação dos eus de luxúria, juntamente com a perfeita concentração durante a prática do Maituna vão fazendo com que a consciência se amplie, deixando de ser escrava dos valores negativos, seja à esquerda ou à direita, agregados ao sexo.

O DELEITE SEXUAL É UM DELEITE LEGÍTIMO DO SER HUMANO”.

Porém, muitos se identificam com o meramente sensorial, com o carnal, e não conseguem eliminar de si mesmos a luxúria, o que é, realmente, uma lástima. Ou seja, estas pessoas limitam o ato sexual ao meramente sensorial.

A palavra chave da postura interior durante a magia sexual é entrega total e respeito, muito respeito.

Para encerrar o tema, vamos abordar algo sobre o Instinto Sexual.

O instinto sexual, hoje, infelizmente, na maioria das pessoas é desviado, através dos cinco sentidos, pelos egos.

O instinto sexual, não obstante, naqueles que já tem equilibrados os centros energéticos da máquina humana, traz consigo muita sabedoria da natureza. Nossa Mãe dos Instintos, nossa Mara Elemental, no mostra quando é hora de pratica magia sexual com mais intensidade ou dar pausas, por exemplo, para o bem de nossa alma; nos permite, também, ter a potência sexual adequada, etc.

Em contrapartida o desejo sexual advém justamente quando os instintos são usados pelos egos. Lúcifer, a força do desejo, nos tentará massivamente no caminho secreto. Perturbará-nos incrivelmente. Devemos ser sinceros nestes instantes e dizer que as tentações sexuais são as provas mais difíceis para todos os espiritualistas sinceros. Haverá lutas desapiedadas entre mente, sexo e coração. Porém, aqueles que se fizerem valorosos, vencerão. O amor e a sabedoria devem sempre vencer estas batalhas terríveis. Neste sentido, Lúcifer é o nosso grande treinador psicológico. Ele em si não é nem bom, nem mal. É necessário compreendermos com urgência a diferença entre Lúcifer e os eus. Os egos devem ser sempre eliminados; os eus são diabos, demônios… Lúcifer deve trabalhar unicamente para o Ser até o final da obra. Mas, ele como sombra do Logos nunca poderá adentrar ao Absoluto…

 

RECAPITULANDO:

 

– o ego pensa, sente e age por nós; a luxúria pensa, sente e age por nós;

– a luxúria a mãe de todos os pecados; ela foi a primeira a surgir e será a última a ser elimanada;

– o desejo e a paixão matam o amor;

– o sexo é sagrado; ele que nos conduz à Deus;

– devemos eliminar de nossa psique até a mais insignificante manifestação de luxúria;

– conheceremos nossa luxúria, mediante a auto-observação de nós mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.