Menu

49 – O Eu da Bruxaria

22 de janeiro de 2016 - Fase A

Tema nº. 49  –   O Eu da Bruxaria.

quaternario

O eu da bruxaria é na verdade um conjunto de pequenos elementos psíquicos que em seu conjunto podem atravancar o avanço do neófito.

Na verdade são eus que todos nós possuímos em abundância sem exceção dentro de nós mesmos e sobre os quais urge trabalharmos com intensidade, a fim de eliminarmo-los de nossa psique.

Como já dissemos, mas nunca é demais repetir, um eu pensa, sente e age por nós.

Sendo assim, temos que nos aplicar na auto-observação de nós mesmos nestes três centros durante todas as circunstâncias da vida, com o claro intuito de nos descobrirmos.

O eu se manifesta nas ocasiões mais corriqueiras. Ele reage às impressões recebidas, seja quais forem.

Por isso é imprescindível estarmos atentos a nós mesmos de INSTANTE EM INSTANTE DE MOMENTO EM MOMENTO, pois são nas ocasiões mais inesperadas que os eus da bruxaria se levantam espontaneamente em nosso interior.

Somente através da auto-observação de nós mesmos poderemos nos auto-conhecermos de fato, tal qual nós somo e não mais nos veremos como alguém distante. Assombrar-nos-emos nestes instantes, pois descobriremos eus terríveis que habitam o nosso interior. Porém, teremos a oportunidade única e maravilhosa de eliminá-los de nossa psique.

 

Todos os eus são gestados pelo poder da fantasia e aos poucos, vidas após vidas, vão engordando, até chegar o momento em que os deixamos materializar em atitudes. Os resultados da Lei de Entropia, como é conhecido este processo, geram sempre consequências desagradáveis para nós mesmos e para os demais.

Pode acontecer que devido ao modo de viver e ambiente familiar da nossa vida atual, deixamos de ter contato direto com eus gestados muito antigamente. Mas isso não quer dizer que eles não existam mais.

Os maus hábitos de vidas passadas, seja devido a tradições culturais, morais, religiosas etc. do ambiente em que vivíamos, tornam-se agregados psíquicos subconscientes e inconscientes em vidas futuras, onde aqueles maus hábitos não são mais valorizados.

O trabalho sobre nós mesmos tem por objetivo último o DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA em definitivo e o RELIGARE com o espírito da Verdade, com o Pai. E isso somente é possível após conhecermos e limparmos nossos eus subconscientes e inconscientes.

Muitos dos eus relacionados com a bruxaria podem ter sido inicialmente criados em vidas passadas.

O simples fato de aceitarmos, ou acharmos bonito certos padrões da loja negra, sejam estéticos ou teóricos, podem ter relações com agregados psíquicos bruxescos de vidas passadas. A aceitação é o mesmo que Identificação. A identificação é o primeiro passo para a ilusão. Pois ao nos identificarmos, nos esquecemos de nós mesmos.

O caminho secreto é a verdade de instante em instante. Buscar a verdade das coisas sempre é o caminho para Deus. Ver as coisas como realmente elas são, excluindo todo tipo de fantasia, é fundamental para aqueles que realmente almejam a Auto-liberação íntima do Ser. E para isso é indispensável NUNCA NOS ESQUECERMOS DE NÓS MESMOS, DE NOS AUTO-OBSERVARMOS.

 

Bruxaria é, enfim, toda a prática que vai contra a ordem natural das coisas, ou melhor, contra a Lei Divina e contra a Lei do Livre-arbítrio.

 

O materialismo sendo confundido com o espiritualismo também é um traço que a Loja Negra explora para fazer confundir as pessoas. Ensinar a pedir bens materiais aos deuses, pois desejamos estes bens; pedir tal ou qual esposo ou esposa, por desejá-los, etc. Isso é luciferismo puro (desejo à frente da razão em Deus).

Por outro lado, se acaso há um problema que nos prejudica o caminhar esotericamente, o viver em paz, devemos sim pedir e trabalhar para superar esses problemas no mundo físico, para que nos possibilitem melhoria interior; porém, sempre com a prerrogativa: “Deus, que se faça sempre a Vossa vontade e não o minha.”

Se estivermos precisando de uma esposa ou esposa para seguir nossa obra, devemos pedir para que os deuses nos arranjem a pessoa certa. Não tenham dúvidas que a Lei Divina nos providenciará a pessoa correta para nós.

Outro problema que trava o avanço aos espiritualistas é transformar o eu da inveja numa religião belicosa. Certos tipos de agregados psíquicos acham que todos ao seu redor são invejosos. Na verdade as pessoas, que identificadas com esse tipo de eus, não compreendem que as enxergam com as lentes desses próprios egos. E lançam feitiços e procederes contra tudo e contra todos.

O eu da inveja é um eu como qualquer outro, que todos nós possuímos aos montes. A inveja pode sim prejudicar a outras pessoas, mas não menos que o ódio, a soberba, a luxúria etc., etc. Sendo assim, devemos nos preocupar com o nosso próprio eu da inveja e de instante em instante, toda as vezes que o observarmos dentro de nós mesmos, eliminá-lo. Aos demais, devemos amá-los como a nós mesmos, da maneira como o Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou.

 

O AMOR é a melhor arma contra todos os agregados psíquicos alheios. Ele é como uma couraça. A luz do amor é a Luz que sai do corpo do Iniciado e o torna protegido dos ataques da loja negra.

 

Não obstante, há perigosíssimos ataques da Loja Negra.

Há também, para nossa sorte, procedimentos mágicos brancos para nos proteger a nós e aos nossos entes queridos das forças das trevas.

O mago branco trabalha com os elementais da natureza; invoca anjos e hierarquias, etc. Já ensinamos algumas conjurações e ferramentas para nos proteger das forças das trevas. Nas lições da fase B e B – Avançada, ensinarei mais algumas orações e conjuros usados pela Loja Branca, para nos proteger das forças das trevas; bem como os rudimentos de Elementoterapia, que é chave do tratamento médico gnóstico.

Porém, nada devemos temer, pois o amor é o escudo protetor e o medo se desfaz quando empunhamos a vontade com o amor e amamos aos nossos inimigos.

 

Essa é a grande chave para vencer o medo: AMAR.

 

Assim, o mago branco sempre trabalha de acordo com a Lei Divina: “Que se faça a Vontade da Grande Lei Divina e não a nossa.” O mago negro, ao contrário, trabalha de acordo com os seus desejos, emoções negativas e teorias dos egos.

 

            A morte em marcha é um trabalho de crescente interiorização.

 

O sentido da auto-observação desenvolvido, não obstante, consegue captar a manifestação egóica não só de nós mesmos, porém de todos. Assim, quer queiramos quer não, acabamos por perceber os demais em nós mesmos e nestes instantes o ego se esforça para reacionar de alguma forma, seja se identificando com o defeito alheio, seja odiando ou se sentindo superior à pessoa alheia, etc.

 

Um neófito não julga para não ser julgado.

 

Temos que repetir que a ATENÇAO DEVE ESTAR SEMPRE VOLTADA PARA DENTRO DE NÓS MESMOS. Devemos eliminar os eus que em nosso interior querem reacionar com os eus percebidos aos demais e não julga-los. É nesse exato momento que devemos trabalhar com a morte em marcha. Quando olharmos para um pessoa arrogante, por exemplo, e somente sentirmos amor divino por ela, embora cônscios da verdade, aí então teremos eliminado nosso eu equivalente. O amor é uma qualidade própria da Essência.

 

Com tudo isso quero dizer que um dos traços primeiros da bruxaria é manter a atenção nos outros e não em si mesmos.

 

Outro traço fundamental da loja negra é que ela trabalha com a energia alheia; para isso rouba aos demais.

 

Os Magos Brancos trabalham com suas próprias energias.

 

Os procedimentos bruxescos residem em sugar as energias vitais, carregadas de energias sexuais. Os Magos Brancos transmutam as suas próprias energias sexuais.

No entanto, as mais terríveis entidades da loja negra são aquelas que dizem coisas bonitas, como se fossem boas, mas no fundo tem a intenção de trazer os equivocados sinceros para o caminho das trevas e do erro. São entidades do mundo mental e, às vezes, somente é possível distingui-las com o poder da Intuição verdadeira, pois fazem discursos muito bonitos, emocionados e cheios de coerência.

A intuição verdadeira brota do fundo do coração tranqüilo. Aqueles que despertam o chacra cardíaco despertam a intuição. Os magros negros, ao contrários, ensinam a turbinarem a mente. Cuidai-vos muito deles. O Senhor Cristo disse ao discípulo Judas:

 

“Abra o seu coração e não a sua mente. Abra os seus olhos (despertai consciência) e o seu coração; não a sua mente.”

 

Um traço fundamental de qualquer Loja Branca é que ela vai ensinar a maneira para se eliminar defeitos psicológicos, agregados psíquicos, defeitos…

A Loja Branca vai ensinar a Castidade.

O Loja Negra que não quer se apresentar como tal não vai falar sobre essas coisas, vai apenas apresentar palavras bonitas.

 

O Loja Branca está embasada no AMOR e na SABEDORIA. Amemos, pois, aos nossos inimigos, que são os inimigos do sagrado.

 

Não é o homem que chega até a Sabedoria, é a Sabedoria que chega ao homem.

O homem tem simplesmente que morrer em si mesmo, para que a Verdade levante de sua Alma Divina e de seu Espírito Divino. Morramos, pois, de instante em instante, de momento em momento, se é que realmente almejamos que o reino de Deus venha até nós.

Assim, devemos nos auto-observarmos a todo instante a fim de nos descobrirmos. E ao encontrarmos um antigo eu de bruxaria, não nos espantemos, matemo-los.

Muitos de nós estivemos de alguma forma ligados à Loja Negra em nossas vidas passadas.

Muitos de nós fizemos laços em vidas passadas com a Loja Negra.

Muitos de nós praticamos bruxaria inconscientemente hoje em dia…

Até os homens mais santos, possuem eus de bruxaria em seus inconscientes.

49

RECAPITULANDO:

 

– o eu da bruxaria é um conjunto de pequenos detalhes psíquicos que levamos dentro;

– devemos eliminar de nossa psique essa categoria de agregados, através da AUTO-OBSERVAÇÃO E MORTE EM MARCHA;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.